sexta-feira, 16 de outubro de 2015

A RESPOSTA É SUA

 
   Apoiar-se em amigos é ótimo, mas jamais espere que solucionem seus problemas.

        Sem questionar, é comum depositar nossa salvação, nossa felicidade e nossa segurança no outro. Gostaria de propor a você uma reflexão sobre essa prática e conscientizá-la de que tudo na vida deriva das próprias escolhas. Apoiar-se em amigos e pessoas amadas é importante. Mas jamais espere encontrar neles a solução para seus problemas. Não importa quanto seu coração esteja partido, só você será responsável por consertá-lo.
Conte com seus amigos sempre, cultive suas amizades, mas sem expectativas maiores para sua felicidade. Eles enriquecem nossa vida, mas não podemos depender exclusivamente deles. Contente-se com o que podem oferecer reconheça o que existe de melhor em cada um. Sem fazer cobranças e sem julgamentos. Assim, você não corre o risco de se decepcionar com as pessoas quando não encontrar o que precisa nelas.
Vivemos em um mundo de aparências e condicionamentos que nos são impostos desde o nascimento. Ao nos vermos livres deles, conseguimos entender que os amigos são como nós: seres humanos sujeitos a transformações com o passar do tempo. De alma leve, geramos uma energia de retorno para que aqueles que amamos também nos aceitem como somos e aceitem nossas mudanças durante a vida. Aliás, nos modificamos porque crescemos, porque evoluímos, e esse é o objetivo final da vida, não é mesmo?
Ao controlar eu pensamentos, atos e ações em direção a esse entendimento profundo de que precisa ter amigos, que eles enriquecem sua vida, mas não pode exigir nem esperar nada deles, você aprende a ser autosuficiente. Segundo as antigas escritura indianas, os livros Vedas, a flexibilidade é o segredo da imortalidade. Quando entender que existem dois lados para toda e qualquer situação, você vai achar mais  simples e viável moldar-se à condições estabelecidas pelas circunstâncias.
Ao colocar-se do lado de quem dá apoio, é fundamental reconhecer a sutil diferença entre dar a mão para ajudar alguém e acorrentar essa alma. Sim, porque, se deixamos que outros nos aprisionem, nos tornando dependentes e submissas, muitas vezes fazemos o mesmo com quem está ao nosso redor.
    Portanto faça este exercício: aja e enfrente as consequências advindas de suas ações sem recorrer a ninguém. Treinar a paciência pode ajudá-Ia a seguir sozinha. Procure observar o que acontece à sua volta bem de perto. E também de longe, para depois enxergar os fatos sob outro ponto de vista. Quando menos esperar uma reação do outro, você pode ter grandes e agradáveis surpresas - que alegria sentir um braço amigo a apoiá-Ia, assim, do nada!
Não se esqueça: mais importante que acalentar amigos terrenos é acalentar seu maior amigo, aquele que habita seu coração, companheiro fiel de todas as horas. 

     (Marcia  de  Luca, revista CLAUDIA,  setembro de 2015)


0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial