quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

UM POUCO DE CADA UM DE NÓS

 
   Tenho em minha memória um ditado que sempre me intriga:  "Deus escreve certo por linhas tortas". Ele traduz, em parte, o acidente com a Chapecoense. Não tem uma explicação lógica para o que aconteceu. No mundo inteiro, as demonstrações de sensi-bilidade, de dor e de empatia nos mostraram que todos nós, ou a maioria de nós, ainda permite se emocionar.
  As lágrimas foram brotando em cada um como um recado amoroso de que somos capazes de nos emocionar. De chorar. De perceber a dor das famílias, dos amigos. De uma cidade inteira. Foi possível entender que, mesmo diante de uma tragédia, é possível, sim, sermos mais solidários, mais humanos, Fomos capazes de uma amorosidade que estava escondida em nós mesmos. Estávamos com vergonha de sermos bons.
   A partir deste momento de dor, constatamos que é possível chorar pelo outro. Por um outro que nem conhecíamos. Ver os estádios de Medellín e de Chapecó lotados de pes-soas com velas acesas e celulares ligados foi solicitar de todos nós mais luz em nossas atitudes. Na Europa, um jogador levanta a camiseta e lá·está escrito "Força". Jogadores de
todos os cantos do mundo usaram a camiseta ou o distintivo da Chapecoense.
   Sim, foi uma tragédia, Uma comoção, uma perda irreparável, uma dor difícil. Só não esqueçamos que podemos escrever certo, tomando a decisão de encontrar em cada um de nós uma solidariedade que dormita à espera de nossa vontade .. Quem..sabe não fomos surpreendidos com a nossa própria fragilidade quanto seres humanos. Quando iremos nos despedir desta experiência de vida? Quando partiremos? o que levaremos para o outro lado?
    Não duvidem: a vida continua. Não só aqui desse lado, mas, principalmente, do outro lado da vida. Neste fim de semana, façam uma sessão pipoca e assistam o filme “Amor Além da Vida”, com Robin Willians. Reflitam sobre o que é o amor eterno, para sempre. Deste e do outro lado da vida.

                        
(José Otávio Binato – Diário de Santa Maria, 04/12/2016)

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial