segunda-feira, 13 de julho de 2015

PONTO NOS IS

   

    Não há dúvidas de que a pontuação é uma das boas dificul-dades desta nossa rica língua portuguesa: "Última flor do Lá-cio, inculta e bela. És, a um tempo, esplendor e sepultura ... ", no dizer versado de Bilac.
    Minha saudosa mulher, que conhecia de cor toda a gramá-tica do nosso vernáculo, sabia ministrar uma esplendorosa aula sobre a pontuação. Confesso que aprendi com ela  muitas reticências. A última lição ela que me deu foi sobre o uso definitivo e fatal do ponto final.
    Falar nisso, sou solidário à triste solidão do ponto, que sempre foi um namorado apaixonado pela dona vírgula, moça feita de curvas graciosas e negaças de esperas. E não é que a vírgula também se tomou de amores pelo ponto?! Pois casaram e se tornaram um par inseparável , conhecido como "ponto e vírgula". Apaixonado e másculo que era, vivia o ponto sobre a vírgula, num definitivo conúbio gramatical. E não há leitor que não faça. uma pausa maior na frase, até que o ponto e a vírgula terminem a sua cópula incansável.
     Dizem por aí que o casal ponto-e-vírgula gerou três filhos varões. Três pontinhos, que se chamaram reticências. Em compensação,  houve casos de homossexualismo entre outros pontos. É o caso dos "dois pontos"! Caso que sempre requer ou sugere uma explicação.
     Sei lá, que não quero entrar nessa discussão, nem tomar partido, posto que não sou preconceituoso.  
    É verdade que fica no ar um "ponto de interrogação". Tanto que alguns se surpreendem e não resistem a um "ponto de exclamação". O que é apenas mais um sinal do nossos tempos.
    Que ninguém pergunte nem se exclame desse imbróglio criado pelo ponto e pela vírgula. Nem é bom que se fale sobre os "acentos": a crase, o "acento agudo" (que é um "grave assento) mais o til e o "acento circunflexo". Aliás, sobre este último (hum ... !),tenho uma quizila.
    Leitor, você sabe o que quer dizer "circunflexo"? Pois (pasme!), circunflexo quer dizer a forma de arco, curvado, encurvado, arqueado, em forma de um segmento de círculo. E o acento circunflexo não tem nada a ver com essa forma curva. ·É um ângulo obtuso, colocado sobre as vogais "a", "e", "o", como o perfil de um daqueles chapéus chineses, sem nenhum forma curvilínea. pode? 
    Pois é! E tem mais: o "trema" era um "traço de união" que, partido ao meio por uma pu-nhalada gráfica, virou dois pontos colocados lado a lado. Eles foram apelidados de "trema", porque o medo ainda os faz tremer. Por sorte, o nosso grande gramático (Lula), acabou com esse sinal, na última reforma ortográfica, do que. até hoje, alguns "Us" e "Is" se queixam. 
    É por tudo isso, e muito mais, que vivo às turras com a gramática, com os vocábulos e 
com os sinais diacríticos ou patognomônicos. Mas não estou sozinho nessa briga: há muita
gente que confunde C cedilha (ç) com dois esses (ss). E chega! É muito desconfortável
esse tema!                                       
              (J. Bicca  Larré, Diário da Santa Maria, 04/07/2015)




0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial